RSS
 

VESTIDO DE NOIVA (*)

Benedicto Ismael C. Dutra
31/03/2009



(*) Extraído do livro Conversando com o Homem Sábio.

Nina voltou a falar sobre o valor da união de um casal.
 
— Lembrem-se, o lar é muito importante como núcleo da preparação de seres humanos de qualidade. O lar deve ser como um santuário, e nele a mulher deve desenvolver as suas capacitações até a máxima florescência. A postura adequada da mulher no lar é mágica, ela é capaz de criar um clima de serenidade que beneficia primeiramente aos seus, seja em sua saúde física ou psíquica, e estende-se muito além, chegando até a favorecer a paz mundial. Se houver paz e harmonia nos lares, menos crimes e violência ocorrerão no mundo. E a mulher tem a capacidade de criar o céu ou o inferno dentro de casa.
 
Uma das mulheres que participavam da conversa levantou-se de seu assento e foi dizendo:
 
— Mas só as mulheres? E os homens, não são responsáveis também?
 
— Claro que são, minha cara — respondeu calmamente Nina — eles não podem agir com despotismo e desmazelo, desrespeitando a ordem do lar e, sempre que possível, deverão colaborar nas atividades domésticas ajudando as suas respectivas esposas em tudo o que puderem, assim como um não deve dificultar a vida profissional do outro.
 
Nina, percebendo a atenção de todos, continuou:
 
— Já que começamos, vamos continuar a falar de casamento. O vestido de noiva exerce grande atração sobre as mulheres, mas ele é apenas um detalhe. Um casamento exige muita responsabilidade, não é só uma festa, a vida em comum exige finalidades elevadas e muito trabalho. Quando a mulher perceber o quanto é importante adotar uma atitude de preservação da harmonia no lar, o homem também modificará o seu comportamento ao perceber a valiosa e indispensável presença da mulher e, além disso, quando laços de amor e amizade unem o casal, a vida a dois é muito gratificante, pois com sua amizade poderão se ajudar mutuamente e enfrentar as dificuldades, se fortalecerem e evoluírem. É tão bom saber que tem alguém que nos aceita com nossas qualidades e deficiências e nos ajuda a superar e a confiar em nós mesmos! É uma equipe perfeita de dois.
 
Os olhos do jovem brilhavam, ele não se conteve e disse:
 
— Mas isso seria o paraíso.
 
— É isso mesmo meu jovem — Nina voltou a falar — porém, lamentavelmente, as pessoas não estão se preparando adequadamente para a vida, e assim, elas se encaminham para o casamento como se estivessem indo para um piquenique de curta duração.  A maioria dos casais não se pergunta como será a vida de casado, nem sequer imaginam onde vão morar ou como vão pagar as contas. Deslumbrados, cada um acha que cabe ao outro a adaptação.
 
Eles não se comunicam com clareza e sinceridade, e desde o início surge uma barreira para a mútua compreensão. Com o passar do tempo, com a chegada da percepção de que a vida real é diferente da fantasia, o deslumbramento acaba sem que o casamento tenha criado sólidas bases de convivência. De repente, cada um começa a achar que está sendo prejudicado pelo outro, e não demora muito, vai tudo por água abaixo. Assim, eles desperdiçam a oportunidade de juntos alcançarem a felicidade terrena, e passam a viver como se tivessem um inimigo dentro da própria casa. Nesses casos é melhor que se separem amigavelmente.
 
Nina parou por um instante, como se estivesse tentando lembrar de alguma coisa.
 
— Ah, é como diz a canção: “…o amor é a coisa mais triste quando se desfaz”.
 
Então, o jovem disse: — Esse verso é de uma canção do Jobim. Aliás, no filme Fale com Ela, de Almodóvar, o personagem Marco, após presenciar uma bonita cerimônia de casamento, menciona essa canção falando da tristeza que as separações podem causar.
 
Nina prosseguiu:
 
— O que eu quero dizer não é que o amor se desfaz, porque o amor é uma propriedade do espírito e hoje se abusa muito dessa palavra. Em geral, não há amor para se desfazer porque o que prevalece são os egoísmos e as paixões. Muitas vezes, quando existem grandes diferenças, os cônjuges acabam tomando direções opostas, não valorizando exatamente o relacionamento, então a união deixa de existir. A tristeza se dá por mais uma união que se desfaz, que acabou não dando certo porque o casal não levou o seu casamento tão a sério como devia rumo ao seu progresso conjunto em paz e harmonia.
 
Um silêncio profundo se instalou diante dessas palavras.
 
E Nina, depois de um instante, continuou a falar, com sua voz serena:
 
— Há mais uma coisa que quero dizer sobre a mulher: A legítima feminilidade pode levar e despertar o homem para grandes feitos. A mulher possui como mais alto bem da feminilidade uma delicadeza na intuição que nenhuma outra criatura pode alcançar. Somente a verdadeira feminilidade educa silenciosamente o homem que quer conquistar os céus. Então, naturalmente, procurará proteger de bom grado e alegremente a legítima feminilidade. As mães sempre foram o esteio da família, no entanto, é sabido que o melhor meio de enfraquecer um povo se faz através da deterioração moral das futuras mães, pois elas são responsáveis, em primeira linha, pela qualidade das novas gerações.
 
O jovem, nesse momento, pensou em duas colegas que seguiram direções opostas.
 
A vida delas, como a de todos nós, era cheia de dificuldades e sofrimentos. Uma delas procurava emprego há alguns meses, mas não achava nada. Ela queria estudar, mas precisava urgentemente de um emprego para ajudar no orçamento da casa, e continuava buscando, pois não queria seguir o mesmo caminho da outra que, na mesma situação, sem achar um trabalho decente, acabou sujeitando-se a uma proposta para trabalhar como massagista num Café, desses que oferecem entretenimento sexual para os homens.
 
Assim, milhões de jovens no mundo se encontram desorientados, com pouca esperança no futuro, o que eles podem fazer? O jovem concluiu seu pensamento: eles não podem ficar acomodados, precisam movimentar-se com confiança nas Leis da Criação, e a solução adequada vai aparecer.
 
O jovem percebeu que Nina estava se levantando, como se quisesse, com isso, sinalizar que a reunião estava chegando ao final. E ela encerrou, dizendo:
 
— Meus amigos essa é a dura realidade que os casais estão vivendo, muita desarmonia e pouco entendimento, raramente os cônjuges se preocupam em melhorar o seu relacionamento aparando as arestas. Geralmente, agem na defensiva, preferindo dar justificativas para as suas atitudes do que eliminar os atritos reconhecendo logo as falhas, preferindo mostrar que estão com a razão. Contudo, nunca é demais repetir, “quando laços de amor e amizade unem o casal, a vida a dois é muito gratificante”, pensem nisso e sejam felizes!



Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Prodigy Berrini Grand Hotel e é associado ao Rotary Club de São Paulo. É articulista colaborador de jornais e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. É também coordenador dos sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br, e autor dos livros: “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”;“2012...e depois?”;“Desenvolvimento Humano”; “O Homem Sábio e os Jovens” ,“A trajetória do ser humano na Terra – em busca da verdade e da felicidade”; e “O segredo de Darwin - Uma aventura em busca da origem da vida”(Madras Editora). E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7
Enviar um Comentário:

Nome:
Email:
  Publicar meu email
Comentário:
Digite o texto que
aparece na imagem:

Vida e Aprendizado 2011.
Reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site deverá mencionar a fonte.