RSS
 

A IMPORTÂNCIA DE O SEU FILHO TER CONTATO COM A NATUREZA

Benedicto Ismael C. Dutra
17/06/2014



Todos nós dependemos da natureza. Para o bom preparo para a vida seria importante que as crianças tivessem, desde cedo, contato com as belezas da natureza, e aos poucos fossem compreendendo a lógica existente nas leis do desenvolvimento e sustentação da vida: Água, ar, solo florestas tudo integrado em perfeito equilíbrio, beneficiando-se da energia do Sol.

Qual foi a última vez que sua família esteve em meio à natureza? Não estamos falando aqui de uma floresta densa ou de um mergulho no fundo do mar. Pode ser um passeio na praia, um piquenique no parque, uma brincadeira no jardim... Faz tempo? Então, seu filho faz parte da maioria das crianças que não tem contato com a natureza e uma pesquisa britânica acaba de comprovar que esse número é muito maior do que você imagina.

Segundo o estudo feito pela RSPB (Royal Society for the Protetion of Birds), uma das maiores sociedades protetoras de pássaros do mundo, apenas uma em cada cinco crianças têm contato com a natureza. Para chegar a esse resultado, o instituto entrevistou 1.200 crianças entre 8 e 12 anos. Eles tinham apenas que concordar ou discordar com frases propostas pelos especialistas relacionadas à sua rotina. Apenas 21% atingiu um nível considerado aceitável de contato com a natureza.

Aqui no Brasil, a situação não é diferente. Somos conhecidos mundialmente por ser um país tropical e pela nossa Floresta Amazônica, mas a realidade das crianças brasileiras é muito similar às de outras regiões do mundo de clima frio e sem grandes áreas verdes. Um estudo realizado pela Unilever com famílias de 11 países - para entender a interação que as crianças têm com a natureza - mostrou que 58% das mães acreditam que, se tivesse uma hora extra por dia, seu filho preferiria brincar dentro de casa.

O escritor Richard Louv, autor do livro Last Child in the Woods (A Última Criança na Floresta, sem previsão de publicação no Brasil) já havia se assustado com essa constatação. Em conversas com crianças e jovens, ele ouviu de um adolescente de 14 anos: “Eu prefiro brincar dentro de casa porque é lá que estão todas as tomadas elétricas”.

Enquanto os programas para TV, os filmes em 3D, os jogos online e os cursos extracurriculares aumentam a variedade e atratividade, o passeio de bicicleta no parque vai ficando lá no fim das prioridades. A psicóloga americana Andrea Taylor, da Universidade de Illinois, em Chicago, nos Estados Unidos, passou os últimos anos estudando os impactos do meio ambiente no comportamento das crianças. Ela descobriu que as crianças que têm contato com área verde apresentam melhores resultados na escola.

Por tudo isso, o seu incentivo é fundamental. Que criança resiste a um convite do pai ou da mãe para brincar no parque ou na praça? E como falamos lá no início desta reportagem, para ter contato com a natureza não precisa fazer uma expedição pela Amazônia. Uma viagem para a praia com direito a procurar conchinhas, ver caranguejo e peixes, passar uma tarde brincando de acertar o formato das nuvens durante um piquenique no parque já contam muito e ajudam a contrabalançar com o que perdemos no meio de tanto concreto.

Continue lendo em globo.com



Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Prodigy Berrini Grand Hotel e é associado ao Rotary Club de São Paulo. É articulista colaborador de jornais e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. É também coordenador dos sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br, e autor dos livros: “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”;“2012...e depois?”;“Desenvolvimento Humano”; “O Homem Sábio e os Jovens” ,“A trajetória do ser humano na Terra – em busca da verdade e da felicidade”; e “O segredo de Darwin - Uma aventura em busca da origem da vida”(Madras Editora). E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7
Enviar um Comentário:

Nome:
Email:
  Publicar meu email
Comentário:
Digite o texto que
aparece na imagem:

Vida e Aprendizado 2011.
Reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site deverá mencionar a fonte.