RSS
 

La La Land

Benedicto Ismael C. Dutra
20/01/2017



 O filme La La Land tem um começo perturbador, com um musical sobre o viaduto congestionado, porém recheado de fragmentos da vida, como quase tudo nesta era turbulenta de muitos estímulos e poucos propósitos. Mia (Emma Stone) trabalha num Café como garçonete e quer ser atriz nos estúdios de Hollywood, mas sua força de vontade está abatida pelos insucessos sofridos. Sebastian (Ryan Gosling) pianista de valor, não tem emprego fixo, mas quer ser proprietário de um clube para resgatar o jazz livre. Apesar das dificuldades e da bagunça em que suas vidas se transformaram, ambos sofrem com os efeitos da globalização e redução dos empregos, mas têm disciplina.
 
Os produtores de filmes da atualidade tentam fazer algo mais emotivo, porém mesmo com muita música e um pouco de romance para fugir ao padrão lutas, tiros e decadência, não abandonam a tendência de produzir baixo astral nas mentes atordoadas de muitas pessoas desanimadas, e tudo vai descendo pela ladeira da frustração com a vida vazia sem sentido. Raramente é dada ao público a oportunidade para se entusiasmar com finais felizes e de ver na vida algo mais do que as perdas e fracassos ou as conquistas materiais.
 
La La Land vai caminhando pelas quatro estações do ano, de inverno a inverno. Quando a vida a dois se complica, Sebastian diz a Mia que é hora de crescerem, de ganhar dinheiro com o que dá para fazer, e que cada um deve seguir seu caminho deixando o amor para trás. Como em Casablanca, filme de 1942, em que Ilsa (Ingrid Bergman) segue outro caminho, deixando Rick (Humprey Bogart) para trás definitivamente, apesar do grande amor que sentiam um pelo outro, o casal de La LA Land vai ter que se separar, ainda que o público romântico fique esperando que haja o reencontro de Mia e Sebastian. Como em Casablanca, Mia e Sebastian também têm um melodioso tema musical. 



Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Prodigy Berrini Grand Hotel e é associado ao Rotary Club de São Paulo. É articulista colaborador de jornais e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. É também coordenador dos sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br, e autor dos livros: “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”, “O segredo de Darwin”,“2012...e depois?”;“Desenvolvimento Humano”; “O Homem Sábio e os Jovens” e “A trajetória do ser humano na Terra – em busca da verdade e da felicidade (Madras Editora)”. E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7
Enviar um Comentário:

Nome:
Email:
  Publicar meu email
Comentário:
Digite o texto que
aparece na imagem:

Vida e Aprendizado 2011.
Reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site deverá mencionar a fonte.