RSS
 

HEROES

Benedicto Ismael C. Dutra
05/08/2011



Temos de usar as capacitações que recebemos para ajudar as pessoas e para melhorar o mundo…

Enquanto predomina uma total ignorância quanto ao funcionamento das leis naturais, fascinada, uma grande camada da população se compraz assistindo dramas e aventuras baseados em histórias inverossímeis e fantasiosas. O seriado Heroes chamou a atenção do público nos Estados Unidos e em outros países, inclusive no Brasil, por sua dramaticidade e algumas cenas de violência. Criado por Tim Kring, Heroes estreou na NBC em 2006. Conta a história de pessoas que descobrem ter habilidades especiais, como capacidade para voar, telepatia, de curar a si mesmo, atravessar paredes, etc. Esses indivíduos apercebem-se que estão conectados e que têm por missão evitar a realização de desastres que lhes são mostrados em imagens desenhadas por pintores com o dom de precognição de eventos futuros. Porém, muitas das histórias trazem um simbolismo que espelha a nossa áspera realidade.

Na série várias pessoas começam a investigar as origens e extensão das habilidades especiais dos personagens. Há também os que querem se aproveitar disso para fins pessoais através de uma organização secreta chamada a Companhia, cujo plano é destruir New York por um holocausto nuclear.

A humanidade não levou a sério as advertências sobre os perigos dos caminhos que escolheu e o seu destino ficou sob ameaça, fato que vem sendo ocultado da grande maioria. Além de explorar capacitações fora do comum, Heroes incentiva algumas reflexões sobre o mistério da existência humana. Destacamos alguns trechos do pronunciamento do protagonista Nathan Petrelli quando foi eleito para o Congresso: “Temos de usar as capacitações que recebemos para ajudar as pessoas e para melhorar o mundo… Enfrentar as batalhas seja qual for o preço, porque o mundo está doente. Nós podemos ajudar. Vamos fazer isso pelos nossos filhos. Vamos mostrar a eles o que somos capazes de fazer”.

Se as capacitações dos Heroes se opõem aos princípios mais elementares das leis naturais, causando estranheza, por outro lado não podemos deixar de incluir as reflexões sobre o mistério da existência humana apresentadas no capítulo final da primeira série: “De onde vem essa busca? Por que estamos aqui? Talvez fosse melhor não procurar pelas respostas não seguindo essa necessidade de saber. Mas a natureza humana não é assim, nem o coração dos humanos. Temos de lutar para fazer a diferença, para mudar o mundo e ter esperança…”.

O logo de Heroes traz as sombras do eclipse mostrando que a falta de luz obscurece o saber. Não dá para voltar ao passado e corrigir o presente, por isso temos de construir um futuro melhor. Basta de alienação. As novas gerações não podem continuar acomodadas diante de imagens e feitos inverossímeis em desacordo com as leis naturais. Elas precisam aplicar seus esforços na busca do saber verdadeiro e da compreensão do sentido da vida, pois nascemos para embelezar o mundo e sermos naturalmente felizes.




Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Prodigy Berrini Grand Hotel e é associado ao Rotary Club de São Paulo. É articulista colaborador de jornais e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. É também coordenador dos sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br, e autor dos livros: “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”, “O segredo de Darwin”,“2012...e depois?”;“Desenvolvimento Humano”; “O Homem Sábio e os Jovens” e “A trajetória do ser humano na Terra – em busca da verdade e da felicidade (Madras Editora)”. E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7
Enviar um Comentário:

Nome:
Email:
  Publicar meu email
Comentário:
Digite o texto que
aparece na imagem:

Vida e Aprendizado 2011.
Reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site deverá mencionar a fonte.