RSS
 

NATUREZA E SUSTENTABILIDADE

José Guimarães Duque Filho
14/06/2012



A natureza tem recursos abundantes, mas não inesgotáveis. Não podemos retirar seus recursos ao nosso bel prazer de forma irresponsável.

Atualmente uma onda verde vem se formando em muitos locais da Terra. Nestes dias está acontecendo a Conferência Rio+20, cuja palavra chave tem sido Sustentabilidade. Mas o que isso significa?
 
Uns falam em desenvolvimento com sustentabilidade, outros em poupança dos recursos naturais em prol das futuras gerações, outros mais em evitar-se o desperdício, a necessidade da reciclagem dos materiais e do lixo, o impacto do aquecimento global do planeta Terra.
 
Tudo isso são parcelas de uma das leis naturais que o ser humano tem de atentar a cada momento de sua existência: a lei do equilíbrio entre o dar e o receber, ou lei da reciprocidade.
 
Para a maioria dos seres humanos o importante é tirar vantagem de tudo, esquecendo-se desta lei primordial que o obriga primeiro a dar para depois receber. Não se trata do dar e do receber dos políticos, que trocam influência por vantagens pessoais, atrapalhando o desenvolvimento dos países. Tal atitude é uma deturpação da lei, que cedo ou tarde vai trazer as consequências amargas destes procedimentos, para aqueles, pois aí passa a atuar a lei do semear e colher, pois tudo que se planta se colhe de forma multiplicada, de acordo com o que foi plantado, sejam atitudes boas sejam atitudes maléficas. O pensar, o falar e o agir são atitudes humanas subordinadas a esta lei.
 
“O ser humano dispõe da decisão para pensar bem ou mal e pode assim orientar a força divina tanto para o bem como para o mal! Nisso se baseia a responsabilidade que o ser humano tem consigo, pois a recompensa ou o castigo hão de vir, já que todas as consequências dos pensamentos voltam ao ponto de início através da lei da reciprocidade instituída, que nunca falha, e que nisso é inamovível, portanto, inexorável. E por isso também incorruptível, severa e justa! Não se diz o mesmo também a respeito de Deus?” (Na Luz da Verdade, Mensagem do Graal vol. I, de Abdruschin, dissertação O Silêncio).
 
Assim, podemos observar que a Lei do Dar e Receber ou Lei da Reciprocidade e a Lei do Semear e Colher abrangem de uma forma concentrada aquilo o que o ser humano pensa, fala e faz.
 
Ela expressa exatamente como devemos agir. Se quisermos receber (exemplo: tirar algo da natureza) temos antes também de algo dar em troca de forma equilibrada. A natureza tem recursos abundantes, mas não inesgotáveis. Não podemos retirar seus recursos ao nosso bel prazer de forma irresponsável.
 
As leis naturais são simples e muito fáceis de ser entendidas, mas o ser humano intelectivo (restrito ao espaço-tempo terreno) as torceu de tal maneira, que as consequências desta atitude funesta o atingirão pesadamente.
 
Desta forma, toda esta complicada parafernália adotada pelo homem na Terra, dificultando a existência terrena, trazendo péssima qualidade de vida nas grandes metrópoles, sujando a terra, as águas e os ares, pode ser facilmente consertada se atentarmos às Lei Naturais, e vivermos de acordo com elas.
 



José Guimarães Duque Filho é Engenheiro Civil, Mestre em Edificações, Conselheiro do COMAM - Conselho Municipal de Meio Ambiente de Fortaleza, Ceará.
Enviar um Comentário:

Nome:
Email:
  Publicar meu email
Comentário:
Digite o texto que
aparece na imagem:

Vida e Aprendizado 2011.
Reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site deverá mencionar a fonte.