RSS
 

REFORMA DO ENSINO

Benedicto Ismael C. Dutra
14/10/2012



A Educação deveria ser o preparo para uma vida de continuado progresso com respeito à natureza e propósitos de vida

Devido à falta de objetivos elevados e à armadilha do endividamento externo no final do século passado, o Brasil atravessou algumas décadas de penúrias econômicas. Nesse período perdemos o rumo e decaímos em muitos setores, inclusive da educação e preparo das novas gerações. Agora com o plano nacional da educação PNE o governo propõe aumentar a oferta de Educação Infantil de modo que 50% da população de até 3 anos esteja matriculada em creches. Dados do Censo Escolar de 2009 e do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tabulados pelo movimento Todos Pela Educação, apontam que, atualmente, apenas 16,91% das crianças de 0 a 3 anos frequentam esta etapa do ensino.

Há um reconhecimento de que a creche é uma etapa tão importante para o desenvolvimento infantil quanto às demais etapas da Educação Básica. Não se trata apenas de pobreza material. A miséria espiritual é que conduz a decadência geral. Creches com educadoras bem preparadas visam suprir as deficiências de casais que geraram filhos sem estarem preparados para desenvolvê-los adequadamente para a vida.

Na atualidade essa etapa do ensino está exigindo de nós redobrada atenção. Uma tarefa para ser abraçada pelos candidatos às prefeituras, pois o Brasil é o quarto país mais desigual da América Latina pela distribuição de renda, apesar do crescimento econômico e dos esforços para a redução da pobreza, atrás de Guatemala, Honduras e Colômbia. A informação integra um estudo da ONU-Habitat.

PRÉ-ESCOLA

Enfrentamos uma estagnação no aprendizado das novas gerações, pois ao adentrarem na escola as crianças se encontram um estagio aquém de sua faixa etária em decorrência da ausência de uma boa formação infantil, conforme atestam os resultados do Índice de Educação Básica 2011 (IDEB). As famílias se desestruturam facilmente, e em muitos casos nem chegam a se consolidar, ficando os filhos gerados em uma situação de semiabandono. Essa etapa do ensino deveria então suprir as deficiências na formação infantil devido à falta de um lar estruturado.

O professor James Heckman da Universidade de Chicago e Nobel de Economia defende a ideia de que investir na Educação na primeira infância gera frutos na vida adulta em diversos aspectos, do profissional ao cognitivo. As crianças que passam pela Pré-Escola antes de ingressar no Ensino Fundamental têm seu desenvolvimento emocional e escolar mais acentuado do que os excluídos dessa etapa de ensino. Com o ingresso na pré-escola a criança chega mais preparada para aprender a ler e escrever.

AS NOVAS GERAÇÕES

A civilização humana alcançou o estágio avançado da fixação ao solo construindo cidades bonitas e acolhedoras, mas sem o preparo das novas gerações, as cidades estão perdendo o seu encanto e se transformando nas violentas e agressivas selvas de pedra, mais perigosas que a própria selva. Falta um ideal e evolução integral.

Estamos caminhando para uma completa alienação do sentido da vida. Quanto mais persistirmos nessa situação, mais ficamos sujeitos ao atraso, incapacitando gerações para a construção de um futuro melhor e mais humano. Necessitamos de uma revisão dos currículos não só do ensino médio, mas também do fundamental e da pré-escola, dinamizando o preparo para a vida através de aprendizado útil e indispensável para as questões essenciais da vida como asseio e higiene, alimentação sadia, atividade física, contato com a natureza, importância do trabalho, responsabilidade, enfim tudo que desperte o ser humano para o autoaprimoramento.

Na primeira infância as crianças precisam de modelos que inspirem o respeito e a consideração, e a responsabilidade do equilíbrio em tudo, como numa balança. Quem recebe deve retribuir. Muito importante a observação da sequencia lógica do desenvolvimento da natureza. A observação das causas e efeitos incentiva o trabalho da intuição. Na medida em que as crianças vão progredindo na idade precisam ir fortalecendo a motivação para o aprendizado e o estudo. Na fase da adolescência se fazem necessários incentivos para o aprimoramento das qualidades humanas como indicador de um sentido para a vida, como meio de fugir do caos dos acontecimentos desconexos da atualidade que roubam a esperança e a alegria da vida. Enfim, as novas gerações precisam saber viver para que surjam cidadãos aptos a cuidar do futuro do país e do planeta.

Qual o papel dos jovens que alcançam os bancos das faculdades nos dias de hoje, seja na universidade, seja na sociedade, seja no desenvolvimento do país, seja no mundo? – Disseminar os valores universais, opinar sobre os temas que afligem a sociedade humana.

Os estudos e pesquisas, teóricos e práticos, habilitam os estudantes para uma maior capacidade de servir a humanidade. A formação universitária deve ir além do que simplesmente formar um bom profissional, precisa formar um ser humano capacitado a melhorar as condições gerais de vida no planeta tendo em vista o progresso real!

A Educação deveria ser o preparo para uma vida de continuado progresso com respeito à natureza e propósitos de vida. A questão da natureza é muito importante, pois o contato das crianças com a natureza, juntamente com esclarecimentos de educadores preparados, capacitam para uma visão da grandeza dos mecanismos naturais e da própria vida, sendo a base indispensável para a formação de seres humanos de qualidade com generosidade no coração. O Conselho Nacional de Educação examinará as propostas de mudanças nos conteúdos, trata-se de uma boa oportunidade para inovações tendentes a fazer da escola uma verdadeira fonte de desenvolvimento da qualidade humana dos alunos através da educação, fortalecendo a base para o desenvolvimento do Brasil.



Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Prodigy Berrini Grand Hotel e é associado ao Rotary Club de São Paulo. É articulista colaborador de jornais e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. É também coordenador dos sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br, e autor dos livros: “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”;“2012...e depois?”;“Desenvolvimento Humano”; “O Homem Sábio e os Jovens” ,“A trajetória do ser humano na Terra – em busca da verdade e da felicidade”; e “O segredo de Darwin - Uma aventura em busca da origem da vida”(Madras Editora). E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7
Comentários:


Esméria Garcia Oséas (esmeriago@hotmail.com) comentou em 31/10/2012 - 12:10:07

Tudo muito certo, Benedito. Tudo o que você disse ali se acontecesse seria lindo, perfeito e o ideal. No entanto,antes de se chegar a isso, precisaria um curso intensivo de palestras e leituras que propiciasse uma inteira reforma de dentro para fora, que se promovesse uma maturidade interior através dos reconhecimentos de todos os conceitos de vida que atualmente grassam por aí, como maléficos e venenosos e substituí-los pelos novos conceitos que seriam estudados, analisados e aceitos com convicção. Esses elementos seriam os preparadores dos novos caminhos que chegariam ao topo do que você mencionou no seu artigo.
Assim penso eu!


Os comentários não representam a opinião do site Vidaeaprendizado, a responsabilidade é do autor da mensagem.
Enviar um Comentário:

Nome:
Email:
  Publicar meu email
Comentário:
Digite o texto que
aparece na imagem:

Vida e Aprendizado 2011.
Reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site deverá mencionar a fonte.