RSS
 

INTUIÇÃO E RACIOCÍNIO

Benedicto Ismael C. Dutra
14/03/2013



Ainda sabemos muito pouco sobre os mistérios da caixa craniana, da sua ligação com o “eu interior” e o talento intuitivo que cada um de nós possui. Na vida cotidiana, estamos diante de situações que nos levam aos limites críticos. É preciso enfrentar tudo com firmeza? Evidente; mas não podemos deixar de examinar as causas que nós mesmos estamos provocando, as quais deram formas às condições inóspitas que rodeiam a nossa vida física e psíquica, com pouca esperança de alcançarmos um futuro melhor, uma vez que ainda somos dominados por pensamentos de descontentamento.

Percebe-se que, como bem descreve a escritora austríaca Roselis von Sass (1906‑1997), o ser humano segue seu caminho de modo solitário e despido de amor. Individualistas e invejosos, muitos não vacilam em mentir e agir com falsidade, aproveitando-se do descuido do próximo para enganá-lo e, assim, satisfazer a própria cobiça e vaidade. Diante de tantos desencontros, às vezes achamos que a vida está em processo de desmanche, como se uma nova força estivesse atuando para mostrar a nossa pequenez diante da grandiosidade da vida.

Por vezes temos a impressão de que as coisas e as pessoas estão se desconectando umas das outras, como se fossem fragmentos que se afastam. Os indivíduos se desinteressaram de tantas coisas tidas até então como importantes e às quais se agarravam firmemente, mas que com o passar do tempo revelaram a sua vacuidade.

Temerosas e inseguras, ou arrogantes e prepotentes, muitas pessoas não querem aceitar a realidade que está batendo de frente com o velho modo de viver, repleto de vãs ilusões, mostrando que, para uma existência feliz e com dignidade humana, tudo terá de se tornar novo.

Questiona-se por que a violência está aumentando pelo mundo. O Brasil se tornou o campeão em homicídios. Descuidados, estamos desvalorizando a vida e seu significado de forma contínua. Permanentemente alimentamos pensamentos negativos. O descontentamento e a insatisfação têm sido cultivados de todas as formas, por meio dos telejornais, filmes e novelas. Pusemos a consideração de lado e nos habituamos a lançar críticas de forma impiedosa, abrindo feridas e provocando destruição. Diz a tradição que no passado os senhores donos das terras não davam aos colonos um desjejum nutritivo com o propósito de mantê-los enfraquecidos e dominados. Agora, não estamos nutrindo as mentes com esperança e alegria de viver, o que leva ao aumento dos estados depressivos e de insanidade mental.

Atuação Intuitiva

Não faz muito tempo, em uma escola fundamental norte-americana, na cidade de Newton, Connecticut, Adam Lanza entrou armado e fulminou 20 crianças e seis adultos. Pouco antes, ele tinha tirado a vida da própria mãe. Como um ser humano pode chegar a esse extremo? Só agindo maquinalmente, sem o coração, ou sem a atuação intuitiva.

Diante de tantas tragédias poderíamos supor que há algo errado com a educação das novas gerações. Os sistemas educacionais ensinam pouco e pregam a competitividade. É preciso que estas instituições se aprimorem visando ampliar a conscientização e evolução da nossa essência espiritual, que nos torna senhores do nosso corpo e, principalmente, senhores de nosso destino. Sem isso, ficamos escravos de nossa mente e das maquinações que ela realiza quando se distancia do coração.

A ciência do século XXI necessita focar a atenção e realizar grande esforço nas pesquisas visando à compreensão da realidade essencial e da nossa vida psíquica, do coração e da alma. Um passo nesse sentido já está sendo dado, conforme relatou o editorial do Jornal Folha de São Paulo, publicado em 25.02.2013, destacando que o governo dos EUA deverá iniciar em março um plano que irá revolucionar o estudo do cérebro humano e que consumirá investimentos superiores a US$ 3 bilhões. O objetivo não se restringe à descoberta de terapias para doenças neurológicas e psiquiátricas, como também pretende entender melhor a mente humana e chegar até a desvendar os mecanismos que regem a consciência e o livre-arbítrio.

Para a compreensão em profundidade de todos esses aspectos é indispensável o estudo do cérebro em seu todo, com a inclusão do cerebelo – que é uma parte importante desse órgão e sobre o qual se sabe menos ainda até hoje, embora o escritor alemão, Abdruschin (1875 – 1941), em seu livro Na Luz da Verdade, editado em 1931, tenha dado esclarecimentos fundamentais sobre suas funções.

Quanto mais nos aprofundamos no saber, mais maravilhados ficamos com a atuação automática de nossas funções vitais e de nossa capacidade de intuir e raciocinar com lucidez. E disso tudo temos de estar cientes, se desejarmos construir um futuro melhor.



Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Prodigy Berrini Grand Hotel e é associado ao Rotary Club de São Paulo. É articulista colaborador de jornais e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. É também coordenador dos sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br, e autor dos livros: “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”;“2012...e depois?”;“Desenvolvimento Humano”; “O Homem Sábio e os Jovens” ,“A trajetória do ser humano na Terra – em busca da verdade e da felicidade”; e “O segredo de Darwin - Uma aventura em busca da origem da vida”(Madras Editora). E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7
Enviar um Comentário:

Nome:
Email:
  Publicar meu email
Comentário:
Digite o texto que
aparece na imagem:

Vida e Aprendizado 2011.
Reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site deverá mencionar a fonte.