RSS
 

A FORÇA DE ATRAÇÃO DOS PENSAMENTOS

Benedicto Ismael C. Dutra
11/12/2013



O reconhecimento de que nada que nos atinge é por acaso e que nós mesmos damos os motivos para o que nos acontece, já é o primeiro passo para alcançar a melhora com o movimento certo

Com o reconhecimento da força de atração dos pensamentos, muitas pessoas deixariam de pensar a esmo de forma negativa. Esforçar-se-iam para não serem problemáticas, resmungonas, pessimistas, vendo só os defeitos, invejando aqueles que, a seu ver, estão em situação melhor.  Mas como agem de forma inadequada, criam um ambiente desfavorável para elas e para aqueles com quem convivem, azedando os humores, roubando a alegria, abrindo-se para correntezas maléficas.

Abdruschin, escritor alemão (1875-1941), autor de Na Luz da Verdade, ensina que as pessoas não devem se sobrecarregar com medos e preocupações desnecessárias, ao invés de manter sempre o espírito livre e alegre, o que reúne mais força para a defesa, em oposição ao que conseguem as correntezas más para oprimir.

O reconhecimento de que nada que nos atinge é por acaso e que nós mesmos damos os motivos para o que nos acontece, já é o primeiro passo para alcançar a melhora com o movimento certo. Muitos se deixaram desviar da finalidade principal - o aprendizado e fortalecimento do espírito -, prendendo-se aos pendores da matéria que impedem o progresso espiritual. Ao retornarem para o Além, percebem tardiamente o quanto desperdiçaram seu precioso tempo terreno.

Tornou-se um péssimo hábito o de menosprezar tudo, olhando para a vida com desdém, e pior, falando de forma negativa. Muitas pessoas, ao ouvirem alguma recomendação importante, logo jogam um balde de água fria, matando o entusiasmo nascente com palavras depreciativas. Trata-se de uma estruturação mental nociva, feita ao longo de anos de excesso de pensamentos cismáticos, e que revela a desesperança e a falta de confiança nas leis naturais da Criação.

Há duas atitudes fundamentais para a libertação desse labirinto de formas de pensamentos negativas. A primeira é compreender que quando dizemos “Seja feita a Tua vontade!”, essas palavras significam que estamos realmente submissos à Vontade do Criador que se manifesta nas leis da Criação, sem nos revoltarmos contra as ações de retorno que trazem sofrimentos, pois fomos nós mesmos que demos origem a elas. A questão é que a maioria pensa: seja feita a Tua vontade, mas se eu pudesse, faria prevalecer a minha.

A outra atitude se refere ao correto respeito ao Décimo Mandamento. Invejar o que o outro tem se tornou uma praga, e nesse sentimento já se encontra a nociva cobiça. Cada pessoa, em consequência de toda a sua existência, de várias vidas no Além e na Terra, forjou o seu destino e a situação em que se encontra atualmente. Se buscar o reconhecimento e se esforçar pelo próprio aprimoramento, progredirá espiritual e materialmente.

No Brasil e no mundo há uma crise de confiabilidade, exacerbada por lutas pelo poder. Há um descrédito no autoritarismo, nas leis e no poder público e privado. De tanto ver as astuciosas manobras para ganho pessoal e aumento de poder e influência, as pessoas acabaram descrentes dos governantes e de tudo o mais, inclusive da religião. Erodiu-se o conceito do bem comum. Cada um para si. A vida espiritual da sociedade humana tende a zero, nada mais é sagrado, as pessoas querem o prazer momentâneo, custe o que custar. Tudo está sendo permitido, mas não há como fugir das consequências, nas quais já adentramos com toda a virulência, acarretando dramas e tragédias humanas de toda espécie.

É imprescindível aproveitar bem o tempo, não cuidando apenas das necessidades do corpo e dos prazeres, mas dedicando esforços ao reconhecimento das Leis da Criação, praticando-as. Conservando limpo o foco dos pensamentos, e orientando a vida em respeito a elas, colheremos progresso, paz e felicidade. E assim, teremos aproveitado bem a nossa presença na Terra.



Benedicto Ismael Camargo Dutra é graduado pela Faculdade de Economia e Administração da USP, faz parte do Conselho de Administração do Prodigy Berrini Grand Hotel e é associado ao Rotary Club de São Paulo. É articulista colaborador de jornais e realiza palestras sobre temas ligados à qualidade de vida. É também coordenador dos sites www.vidaeaprendizado.com.br e www.library.com.br, e autor dos livros: “Nola – o manuscrito que abalou o mundo”, “O segredo de Darwin”,“2012...e depois?”;“Desenvolvimento Humano”; “O Homem Sábio e os Jovens” e “A trajetória do ser humano na Terra – em busca da verdade e da felicidade (Madras Editora)”. E-mail: bicdutra@library.com.br; Twitter: @bidutra7
Enviar um Comentário:

Nome:
Email:
  Publicar meu email
Comentário:
Digite o texto que
aparece na imagem:

Vida e Aprendizado 2011.
Reproduçao total ou parcial do conteúdo deste site deverá mencionar a fonte.